Deixar uma impressão errada

Justo quando você pensa que tudo correu muito bem, um aluno faz um pergunta e você fica com a horrível sensação de que houve uma desconexão importante. Há certas escolhas de palavras, frases e até atividades que, se não tomarmos cuidado, pode deixar os alunos com a impressão errada.

 

Evolução como melhora
Referir-se a evolução como “progresso”, “melhora” ou “tornar-se mais sofisticado”, implica que a história da vida tem uma direção, o que não tem.

A sobrevivência dos mais aptos
Uma maneira melhor de expressar essa ideia é “sobrevivência do apto o suficiente”. Retratar a natureza com a imagem de “garras e dentes vermelhos de sangue” onde os seres vivos sempre se engajam em uma luta de vida ou morte contra competidores é um simplificação grosseira do que está realmente acontecendo. Muitas formas de vida vivem por muito tempo apenas por existirem em nichos que outros organismos não estão preparados para ocupar. Por exemplo, a artêmia vive em águas que são inadequadas para potenciais inimigos aquáticos e elas, aparentemente, não tem competição significativa por comida.

Linhas de tempo
As linhas de tempo que são comumente vistas em sala de aula geralmente mostram uma sequência como bactéria – água-viva – trilobita – dinossauro – mamute. Essas linhas do tempo podem dar a impressão que formas díspares evoluem umas das outras. Claramente, a intenção dessas linhas do tempo é mostrar as formas de vida dominantes durante eras geológicas, mas elas podem ser mal interpretadas. Uma linha do tempo mais apropriada, conceitualmente, seria uma que incluísse transições e, portanto, que mostrasse evolução ao invés de substituição.

A natureza experimental da ciência
Cientistas não tem problemas em admitir que seus resultados são sempre experimentais. Isso não significa que suas idéias são mal fundamentadas, mas que a ciência está sempre pronta para modificar ou rejeitar ideias conforme novas informações são adquiridas. O fato de ser experimental reflete uma atitude honesta e aberta, não falta de argumentos.

Confusão do tempo envolvido da “Explosão Cambriana”
A “Explosão” Cambriana é um termo infeliz já que não é um exemplo de formas de vida que surgiram completamente formadas em praticamente um instante. O registro fóssil do Cambriano primitivo contém um grande número de animais com partes duras, as quais se conservaram bem. Esse é o mais antigo bom registro de uma fauna que se desenvolveu durante milhões de anos. Foi uma explosão muito lenta.

Nomes em inglês tais como silverfish, starfish, jellyfish, crayfish
Às vezes parece que tinha acabado o vocabulário dos primeiros descobridores da vida na Terra. No caso desses nomes de animais em inglês, "fish" significa qualquer coisa que viva na água, exceto pelo SILVERFISH (traça) que vive em armários. Alguns termos são usados várias e várias vezes, levando a muita confusão nas mentes dos alunos e de outras pessoas. Há duas soluções possíveis para esse problema. Primeira: podemos nos referir a "jellies", "sea stars" e "crawdads" ao invés de "jellyfish", "starfish" e "crayfish". Segunda: nós podemos usar terminologias científicas e nos referir a cnidários, equinodermos e crustáceos. É um problema e a solução é você quem decide.

Símios sem seres humanos
Os seres humanos e os chimpanzés compartilharam um ancestral comum cerca de seis milhões de anos atrás. Isso foi depois do ancestral humano/chimpanzé se ramificar da linha que levava aos gorilas e muito antes da linha humanos/chimpanzés/gorilas sair da linha que levava aos orangotangos. Então, unir chimpanzés, gorilas e orangotangos como “símios” sem incluir os seres humanos é um agrupamento artificial.

    próximo
Manter-se atualizado


Busca · Índice · Navegação · Direitos Autorais · Créditos · Contato
Entendendo a Evolução para Professores Início · Entendendo a Evolução Início

Veja outras opiniões do site Entendendo a Evolução

Tradução em espanhol do site Entendendo a Evolução para Professores da Sociedade Espanhola de Evolução Biológica.